• Ageimagem

Doação de óvulos é alternativa para casais que desejam formar uma família


Dr. Alfonso Massaguer explica como funciona a técnica chamada de Ovodoação

A Ovodoação ou doação de gametas femininos (óvulos) é uma alternativa da Medicina Reprodutiva que possibilita aos casais alcançar a maternidade. Na técnica, os gametas femininos ou óvulos de uma mulher (doadora) são doados à outra (receptora) para serem fertilizados pelo sêmen do marido da receptora ou esperma também doado.

A técnica é indicada para mulheres que não estão mais produzindo óvulos; mulheres com idade avançada, que tiveram diminuição do seu potencial de fertilização; ou mulheres que são portadoras de genes determinantes de doenças severas.

O procedimento da ovodoação funciona da seguinte maneira: a doadora de óvulos passa por uma investigação médica, psicológica e laboratorial (exames de Sorologia, hormônios, tipagem sanguínea). “No Brasil, a ovodoação costuma ser compartilhada, ou seja, a doadora também necessita realizar fertilização in vitro, geralmente por fator masculino ou tubário, e doará metade dos seus óvulos para uma receptora. Este processo de doação é anônimo, não havendo conhecimento entre os casais”, explica o Dr. Alfonso Massaguer, ginecologista, obstetra e Diretor Clínico da Clínica Mãe.

Importante no tratamento de ovodoação é deixar ambas as partes confortáveis com o tratamento: a doadora deve consentir sobre o compartilhamento dos óvulos. No caso da receptora ocorre um processo psíquico muito parecido com a adoção de uma criança. A mulher, a princípio, poderá ter uma sensação de recusa, e frustração com o fato de não poder mais gerar filhos com seus próprios óvulos. Em contrapartida o fato de gestar, amamentar, e ter todas as sensações de uma gestação se tornam único.

“Em resumo devemos sempre respeitar a decisão da doadora e receptora, conquistando o objetivo: uma gravidez saudável de ambas”, conta o Dr. Alfonso Massaguer.

#release

0 visualização0 comentário