• Ageimagem

Portal Terra explica que parto normal permite que a mãe se recupere mais rápido


O mundo está com os olhos voltados para a família real britânica. Kate Middleton, a duquesa de Cambridge, deu à luz ontem (23) ao seu terceiro filho com o príncipe William. O nascimento ocorreu às 11h01 do fuso-horário de Londres, e a família já deixou o hospital com o bebê cerca de 7 horas depois.

O fato chamou atenção dos internautas aqui no Brasil, onde o tempo para alta é maior. Segundo o obstetra Claudio Basbaum, porém, o parto normal permite que a mulher tenha alta mais cedo. "Não há novidade. Só para o Brasil, que infelizmente medicaliza o parto excessivamente", comenta.


O mais novo membro da família real nasceu com 3,820 quilos. Eles só descobriram o sexo do bebê ontem, depois do nascimento. O nome do pequeno ainda não foi divulgado.

Por aqui, a recomendação do Ministério da Saúde é que se espere, no mínimo, 24 horas para liberar a mãe e o bebê nascido de parto normal para casa. Nesse tempo, ambos passam por exames e avaliações de saúde.


Segundo o obstetra, a assistência pré-natal oferecida no Reino Unido permite que o tempo recomendado seja menor, de apenas 6 horas, no caso de gestantes jovens e saudáveis. Kate ainda era multípara, ou seja, já tinha dado à luz a dois filhos, George e Charlotte, o que torna as chances maiores de ocorrer parto mais tranquilo.


"No Brasil, isso poderia ser adotado e reduziria muitos custos. Mas, para isso, é necessário mudar toda a estrutura da assistência pré-natal", explica Basbaum. Ele ainda adiciona que os exames feitos na maternidade durante o pós-parto não precisam de uma internação.


Um parto normal é feito sem intervenção cirúrgica e tem cicatrizes apenas caso haja episiotomia, que é o corte entre a vagina e o ânus para ampliar o canal do parto. O procedimento, porém, é necessário em apenas 10% dos nascimentos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.


Veja a matéria publicada pelo site Terra.


0 visualização0 comentário