• Ageimagem

Dislexia, disgrafia e discalculia: entenda os transtornos de aprendizagem


Dificuldades para lidar com leitura e escrita, com ortografia e com matemática atingem mais de 1 milhão de estudantes do Brasil.

Algumas pessoas têm dificuldades com determinados assuntos: umas não conseguem fazer contas de cabeça, outras leem aos solavancos, há quem não consiga memorizar caminhos. Existe, porém, uma diferença entre achar um assunto confuso e ter transtorno de aprendizagem.

Neste último caso, uma desordem causa um atraso no aprendizado ligado à escrita, à leitura ou à matemática, além de afetar o desenvolvimento cognitivo. As causas do transtorno podem ser biológicas, genéticas ou ambientais, com influência na capacidade do cérebro de processar ou perceber informações verbais ou não-verbais.

No Brasil, os transtornos de aprendizagem atingem cerca de 5% das crianças matriculadas em escolas – o que equivale a mais de 1,2 milhão de estudantes, de acordo com dados do Censo Escolar divulgados pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira). E é justamente no ambiente escolar que eles são percebidos – na dinâmica e na frustração em atividades individuais e em grupo, os professores notam dificuldades pontuais de seus alunos e podem indicar a necessidade de procurar um diagnóstico médico.

As pedagogas Renata Haddad (pós-graduada em neuroeducação com ênfase em transtorno do espectro do autismo e mestranda em distúrbios do desenvolvimento) e Dilma Nandes Ervilha (especialista em gestão, supervisão e orientação educacional do Colégio Objetivo de Brasília) nos explicaram tudo sobre os principais transtornos de aprendizagem: dislexia, disgrafia e discalculia.

Veja a matéria completa no site M de Mulher.

#Dislexia #Disgrafia #Discalculia #Transtornosdeaprendizagem

0 visualização0 comentário