top of page
  • Foto do escritorAgeimagem

Clayton Nascimento: ator faz sucesso contando a própria história e a do povo negro no Brasil

Espetáculo “Macacos” lota Teatros, ganha prêmios e conquista o carinho de artistas renomados como a diva Fernanda Montenegro



Foto: O ator Clayton Nascimento em cena na peça “Macacos”

Créditos: Acervo pessoal

Clayton Nascimento, aclamado ator, escritor e diretor, vem se destacando no cenário teatral brasileiro com seu espetáculo solo "Macacos". Este monólogo de três horas, que já recebeu o prestigioso Prêmio APCA indicado a melhor dramaturgia, vencedor na categoria melhor ator e também ao Prêmio Shell de melhor ator, é uma obra que foi escrita, dirigida e representada por Clayton.

“Macacos" é uma narrativa poderosa e provocativa que desvela a trajetória de preconceito e violência contra os negros, os povos originários e as mulheres ao longo da história do Brasil. Clayton Nascimento parte do xingamento mais comum aos pretos para expor a formação do povo brasileiro e a origem da violência que perpetua um sistema de dominação da chamada elite branca.

A peça também presta homenagem à história do teatro, desde suas raízes no teatro das origens africanas, até as gregas e romanas. Em um dos pontos altos, Nascimento evoca o espírito de Abdias Nascimento, historiador, ativista cultural e pioneiro do Teatro Experimental do Negro, que na década de 1940 encenou peças de sucesso e consagrou artistas negros.

Aclamado por colegas de profissão, "Macacos" tem atraído o interesse de nomes consagrados da cena cultural como Fernanda Montenegro, Regina Casé e Marcos Palmeira, que fizeram relatos emocionantes sobre o ator e a peça.

Após uma temporada de lotações esgotadas no Teatro Ipanema, "Macacos" prepara-se para uma nova temporada no Centro do Rio, de 8 a 31 de julho. Este é um marco significativo na carreira de Clayton Nascimento, que observa: "Para ser um protagonista negro no Brasil, precisei escrever e dirigir a minha própria peça". Não perca a oportunidade de ver essa performance arrebatadora e profundamente significativa.

Serviço RJ: Teatro Firjan SESI Centro

Endereço: Av. Graça Aranha, 1 - Centro - Rio de Janeiro

Datas das apresentações e horários:

De 08/07 a 30/07

Sábados: 19h

Domingos: 20h

FICHA TÉCNICA

"MACACOS"

Clayton Nascimento: Ator, Diretor e Dramaturgo

Danielle Meireles: Direção Técnica/ Iluminadora

Ailton Graça: Provocador Cênico

Aninha Maria Miranda: Direção de Movimento

Ulisses Dias (Bará Produções): Produção Geral

Sobre Clayton Nascimento

Clayton Nascimento tem 33 anos e é ator, diretor, professor e dramaturgo. Atua também na preparação de consagrados atores para alguns dos maiores sucessos da TV e séries de streaming.

Clayton estudou no Centro de Educação e Artes Célia Helena em São Paulo, graduou na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, estudou Na Escola de Arte Dramática, a EAD da USP e na SP Escola de Teatro. Atualmente, é mestrando, na USP.

No teatro participou de peças de sucesso como "Buraquinhos", vencedora do prêmio APCA e indicada ao Aplauso Brasil.

No cinema, atuou em "Selvagem" filme que foi pré-indicado ao Oscar. Na TV, está na Globoplay em "A5 Five", "Carcereiros", "A Caverna d "Dois Tempos", série que vai estrear nos canais do grupo Disney.

Redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/clay.nascimento e Petra"

Sobre a Cia do Sal

É uma companhia que surgiu na ocasião da estreia da peça “MACACOS”, em 2016. O grupo é formado por atores e atrizes pesquisadores e Arte Dramática da USP EAD, Escola Livre de da cena, vindos da Escola d Teatro de Santo André ELT e Célia Helena.

Em seu corpo, a Cia do Sal possui artistas negros, brancos, trans, gays, héteros, paulistanos, cariocas e nordestinos que pesquisam seus anseios dentro do coletivo. contar, junto ao povo, fatias e memórias da nossa história.

A principal ideia da Cia do Sal, provém da significância que a palavra sal tem na vida das pessoas. O sal tem forte presença na formação e no surgimento do corpo humano. Mas não somente. Nos escambos escravagistas, o sal foi a moeda de troca por seres humanos e figura marcante nas poesias que narram a dor e a morte nos navios negreiros.

Sal dá origem à palavra "salário" e Brecht dizia: "O sal do suor do operário é o que tempera a comida do patrão". Queremos este Sal de volta às nossas casas, temperando agora, nossas comidas e de nossas crias.

Outro ponto, é que o sal é uma condição única para a existência de seres vivos, portanto, nasce mais um desejo da Cia do Sal: que o teatro e as artes sejam condições básicas para que nos reunamos, para que estejamos vivos e para que possamos fortalecer as nossas expressões vitais.

Redes sociais:


bottom of page