• Ageimagem

Corpão Violão: nova tecnologia promete resultados de treino pesado na academia

Dermatologista recomenda tratamento para quem tem pouco tempo de fazer exercícios, mas diz que atividade física é fundamental para a saúde







O sonho da maioria das mulheres é ter o corpo como o das musas das artes e ser invejada pelas formas definidas e atraentes, afinal o “corpo violão”, no imaginário do brasileiro, nada mais é do que ter ombros e braços definidos, quadril largo com pernas torneadas e cintura fina. Entretanto, para estar afinada com os padrões estéticos é preciso entrar num ritmo louco de dietas balanceadas, horas sem fim na academia e tratamentos estéticos em diferentes regiões do corpo. Por muitas vezes, tais sacrifícios não ajudam a atingir os resultados esperados. "Imagina ter que seguir tudo isso e ainda ter que submeter a uma rotina extenuante de trabalho, filhos, etc...? Por isso, atingir o nível de satisfação desejado é sempre tão difícil", pondera a dermatologista Ursula Metelmann.


Mas uma nova tecnologia recém-liberada pela Anvisa pode aproximar o sonho da realidade e isso sem tantos sacrifícios e renúncias. O Sculptmax é o primeiro tratamento do Brasil que combate a gordura, a flacidez, deixa os músculos firmes e desenvolve massa magra para alcançar o resultado que até então o que era possível com horas de exercícios na academia e uma rígida disciplina de treinos.


Testado e aprovado


No Brasil, o Sculptmax seguiu um protocolo de testes antes de ser aprovado. Mulheres com idades entre 30 e 70 anos trataram diferentes áreas do corpo em até 8 sessões indicadas para o tratamento. E muitas delas relataram melhoras já nas primeiras sessões. "Teve o caso de uma paciente que tratou a região do abdômen e já na primeira semana começou a reduzir que aquelas gordurinhas que tanto incomodam a gente. Para quem não tem tempo de fazer academia ou não tem condições de fazer procedimentos estéticos que estão na moda, o aparelho se mostrou bem eficaz”, comenta a Dra. Metelmann.


Segundo a Dra. Ursula, a atividade física é fundamental para a saúde, mas a tecnologia tem a vantagem de tratar o paciente como um todo, seja o bumbum, pernas, braços, etc... "O grande diferencial desse tratamento é que toda a musculatura pode ser trabalhada e a pessoa ainda trata a gordura localizada e a flacidez!”, afirma a dermatologista.


Tratamento não invasivo


A nova tecnologia do Sculpt Max funciona a partir de um sistema de ondas eletromagnéticas que induzem até 35 mil contrações musculares de alta intensidade para tonificar e modelar músculos, aumentar a massa magra e reduzir a gordura, ao mesmo tempo. O equipamento gera uma sobreposição de contrações involuntárias do músculo, as chamadas contrações tetânicas, que é algo impossível de ser reproduzido num exercício, por mais intenso que seja. "Por meio do ajuste das frequências do campo magnético é possível condicionar a musculatura de uma pessoa sedentária e também definir os gominhos do abdômen de quem é fiel à academia", explica o CEO da empresa, Eduardo Marques, responsável pela tecnologia no Brasil.



Com 5 modos de treinamento, o Sculpt Max é o único aparelho do país com 5 diferentes ponteiras que podem ser adequadas à faixa etária do paciente. É seguro, rápido e indolor. As contrações são capazes de estimular o músculo provocando a hipertrofia, por meio de uma grande quantidade de suprimento de energia. Exposto a essas intensas contrações, o tecido muscular é forçado a se adaptar e promover uma grande reformulação interna que resulta numa nova construção dos músculos e uma modelagem do corpo. "Por meio da tecnologia HI-EMT, que emite as ondas eletromagnéticas, são geradas essas contrações de alta intensidade que permitem reduzir em 15% a gordura, aumentar cerca de 19% da massa muscular e reduzir 4 cm da circunferência abdominal", destaca Marques.



O Sculpt Max, além da questão estética, é indicado também para tratar e prevenir doenças, como a incontinência urinária nas mulheres, uma vez que fortalece a musculatura pélvica por meio de uma exclusiva ponteira que aumenta a espessura da parede vaginal e melhora a sensibilidade. “Quanto mais idade a gente tem, menos músculos, e é muito importante reverter essa situação, pois a tonificação muscular melhora a qualidade de vida do paciente, traz uma resposta motora melhor, previne o envelhecimento ósseo e consequentemente, melhora a flacidez de pele também“, conclui o empresário.

6 visualizações0 comentário