• Ageimagem

Por que precisamos saber mais sobre a criopreservação?



Em artigo publicado no portal Papo de Mãe, o Dr. Roberto Antunes de Azevedo detalha a revolução tecnológica que impactou os procedimentos de reprodução humana, citando especialmente as técnicas de congelamento de tecidos e células humanas em que é feita a preservação de embriões, óvulos, espermatozoide, tecido ovariano e testicular.


O processo de congelamento de óvulos, ou ainda o congelamento de sêmen, é importante para aqueles pacientes que desejam adiar ou programar uma gravidez e as transferências embrionárias, com o uso dessas técnicas, concorrem para maiores taxas de gravidez e permitem que os processos de análise genética embrionária sejam feitos com total cuidado, gerando segurança para os pacientes que possuam respostas ovarianas grandes ao estímulo para FIV.


O médico lembra que o congelamento de óvulos é indicado para aquelas mulheres que querem desenvolver uma gravidez tardia por conta de compromissos profissionais ou as que são diagnosticadas com alguma doença, como o câncer, e que desejam preservar a fertilidade pós-tratamento. De acordo com o Dr. Roberto é recomendado que o procedimento seja feito ainda no período reprodutivo, ou seja, antes dos 35 anos quando a produção e a qualidade dos óvulos começa a cair. Saiba mais no post a idade reprodutiva da mulher em cada etapa da vida.


Ainda de acordo com o Dr. Roberto, os processos de congelamento ajudam a melhorar muito as taxas de sucesso nos tratamentos de infertilidade feminina.


Outros posts sobre assuntos relacionados sobre criopreservação e congelamento de óvulos: Tratamentos | Fertipraxis Fertilização in vitro: transferência de embriões sem fragmentos | Fertipraxis Mulher: a fertilidade em cada etapa da vida | Fertipraxis A reportagem completa você acompanha em: https://papodemae.uol.com.br/2021/02/17/o-que-precisamos-saber-sobre-criopreservacao-em-medicina-reprodutiva/ saiba mais em:

www.ageimagem.com.br