• Ageimagem

Saúde mental na pandemia: as crianças também precisam de cuidados

Estudo revela os efeitos psicológicos mais imediatos do isolamento social

para crianças e adolescentes


Foto: Internet


Por quê? O porquê das coisas tem sido questionado pelas crianças, provavelmente, desde que o mundo é mundo e, em tempos de pandemia, diversos tipos de questionamentos foram intensificados. Muitas crianças perguntam aos pais sobre o motivo do distanciamento e do isolamentosocial em relação, principalmente, às demais crianças.


Nesse contexto, foram notadas mudanças na saúde mental e no comportamento das crianças e dos adolescentes em todo o mundo. Um estudo feito na província chinesa de Xinxim, com 320 crianças e adolescentes, revelou os efeitos psicológicos mais imediatos da pandemia para a saúde mental.


Eles incluem a dependência excessiva dos pais (36% dos avaliados), a desatenção (32%), a preocupação (29%), os problemas de sono (21%), a falta de apetite (18%), os pesadelos (14%), o desconforto e a agitação (13%).


É claro que tudo varia de acordo com a idade, as características da menina ou do menino, o contexto familiar e social e, principalmente, o jeito com que os adultos ao redor lidam com a situação.


Para que os pais possam se prevenir e ajudar os seus filhos, a farmacêutica Silmara Spinelli explicou, ao Portal Macetes de Mãe, quais cuidados em relação à saúde mental das crianças devem ser tomados nesse momento tão difícil .


1- O primeiro passo é o responsável pela criança saber olhar para a situação e perceber como tudo está diferente. Isso porque o adulto cuidador deve lidar com os próprios sentimentos. Ansiedade ou impaciência, ocasionalmente, são normais, pois a situação é nova para todos. O importante é manter o diálogo e o acolhimento.

2- O segundo passo pode parecer estranho para alguns adultos, mas a verdade é que crianças, principalmente as menores, adoram uma rotina. Os pais devem criar uma rotina possível e que tenha alguma flexibilidade. É legal eleger prioridades, mas sem cobrar demais. A rotina dá à criança previsibilidade e segurança, diminuindo a ansiedade e a irritabilidade.

3- O terceiro passo é ter cuidado com as informações que os pequenos consomem, afinal, muitas notícias geram mais angústia. Essas informações precisam ser adequadas à idade, pois isso ajuda a não fantasiar a realidade.

4- O quarto passo é procurar ajuda profissional que dê o apoio do qual a família precisa. O mais indicado é observar os pequenos e notar como eles reagem. Se os comportamentos estiverem atrapalhando as relações, é importante procurar ajuda e relatar essas percepções.

5- Ninguém aguenta viver só de tensão. Então, mais uma dica é criar momentos divertidos, já que eles ajudam a trazer mais bem-estar. Por exemplo, quem está de aniversário pode fazer uma festa virtual. E, para tornar toda a família feliz, que tal algumas brincadeiras com todos juntos?

Leia a reportagem completa em: Portal Macetes de Mãe

2 visualizações0 comentário